13/09/2020 - 08:18

Webinário sobre Violência Doméstica e Lei Maria da Penha ocorre nesta segunda-feira (14)



A Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência do Tribunal de Justiça da Paraíba, em parceria com a Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana e a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano, realizará o Webinário “Violência Contra a Mulher e a Lei Maria da Penha: Respostas Múltiplas Para Um Problema Complexo”. O evento será nesta segunda-feira (14), a partir das 9h e é aberto para toda sociedade através do link: https://youtu.be/yL0g_is8Qg.
 
Com transmissão pelo canal do Youtube do TJPB, o Webinário dá início ao ciclo de Capacitação Trabalhando com Homens Autores de Violência Doméstica contra Mulheres e alcançará as seis turmas dos 26 polos regionais participantes. O objetivo é formar as equipes dos Centros de Referência de Assistência Social (Creas) Regionais de todo o Estado. A primeira compreende os Creas regionais de Araçagi, Baía da Traição, Lucena e Salgado de São Félix, e os Creas municipais de: João Pessoa, Marcação, Pirpirituba, Sapé, Bayeux, Mamanguape, Rio Tinto, Cabedelo, Santa Rita, Cabedelo, Conde, Caaporã, Alhandra, Itapororoca e Pedras de Fogo. A última turma começará a capacitação no dia 22 de outubro.

A abertura contará com a participação dos magistrados responsáveis pela Coordenadoria da Mulher do TJPB, juíza Graziela Queiroga e juiz Antônio Gonçalves; da secretária estadual da Mulher e da Diversidade Humana, Lídia Moura; e do secretário de Estado do Desenvolvimento Humano, Tibério Limeira. A iniciativa, que tem como objetivo, também, fomentar a implementação de grupos reflexivos para autores de violência doméstica e familiar contra a mulher em toda a Paraíba, é fruto de uma parceria entre o TJPB e o Governo do Estado.

“O agressor deve ser responsabilizado pelos atos, mas vamos ao âmago da história, que é sentar e trabalhar com esse homem que, muitas vezes, passou a vida visualizando e vivendo situações de agressão e ele está apenas reproduzindo aquilo que aprendeu”, comentou Graziela Queiroga. Nessa perspectiva, ainda segundo a magistrada, a educação tem o poder de gerar mudança de paradigma e cultura, trazendo essa inovação da própria lei. “A parceria com as secretarias foi o caminho encontrado para que mais cidades e comarcas tenham acesso a este serviço”, enfatizou.

A secretária Lídia Moura salientou que, por meio da parceria, será possível capacitar profissionais que, por sua vez, serão multiplicadores destes grupos reflexivos acerca da violência doméstica e familiar contra a mulher. “Os Creas são porta de entrada nessa discussão e queremos esclarecer que, no que se refere à violência contra a mulher, não pode haver conciliação. A aproximação dos agressores pode revitimizar a mulher. Por isso, a configuração em torno dos grupos é para que os homens abandonem a masculinidade tóxica e tenham uma visão de que a sociedade fica melhor quando não querem exercer domínio sobre a vida das mulheres”, afirmou.

De acordo com a psicóloga da equipe do Juizado de Violência Doméstica de Campina Grande, Clarissa Guedes, responsável pela formação, serão seis semanas de aprendizado. Dentre as temáticas que serão abordadas, estão “Gênero e Direitos das Mulheres”, com a equipe técnica da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, e “Afinal, o que é ser homem? Refletindo sobre Masculinidade(s)”, com o psicólogo convidado Felipe Pê.

Por Fernando Patriota/Gecom-TJPB