05/12/2019 - 14:02

TJPB comemora Centenário natalício do saudoso desembargador Sílvio Pélico Porto



O TJPB (Tribunal de Justiça da Paraíba) fará homenagem, às 17h00 desta quinta-feira, através da CCM (Comissão de Cultura e Memória) da instituição, ao Centenário de nascimento do saudoso desembargador Sílvio Pélico Porto (foto), na Sala do Tribunal Pleno. A solenidade será presidida pelo desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, presidente do TJPB, para quem Sílvio Porto – como era mais conhecido – foi um magistrado que se houve, com retidão de caráter e conduta ética, em todos os papéis que desempenhou,  em toda a trajetória de vida, como juiz e homem público. Nomeado Desembargador em 1981, e falecido em 1984, o homenageado era natural da cidade de Cruz do Espírito Santa, na Várzea da Paraíba, e era casado com D. Diana Porto, com quem procriou três filhos: José Ricardo Porto, Geraldo Porto e Sílvio Pélico Porto Filho – os dois primeiros, tornaram-se magistrados; o outro, também advogado, integra o quadro da Defensoria Pública da Paraíba. Eram seus pais: José Domingues Porto e D. Nautília da Gama Porto. Ele também  enveredou pelo terreno da política partidária, tendo concorrido, na trajetória, a alguns cargos eletivos, no que melhor sobressaiu como consultor e requisitado tribuno, com atuação, mais marcante, em João Pessoa e na região do Brejo. Para o desembargador José Ricardo Porto,  vice-presidente do TRE-PB e presidente da 1ª Vara Cível do TJPB, a iniciativa do tribunal, de lembrar os 100 anos de nascimento de Sílvio Pélico Porto, não apenas enche, de júbilo, o conjunto de seus familiares, como faz justiça a um dos homens públicos que muito pôde realizar em defesa dos superiores interesses da coletividade paraibana, através de todos os cargos que ocupou, fazendo tudo à sua maneira, porém, sem jamais fugir ao rigor dos ditames legais. Já o juiz Geraldo Porto, titular da 7ª Vara Criminal da Capital, e juiz eleitoral de João Pessoa, seu pai foi um exemplo de honradez, dotado de vasta cultura jurídica e literária, e de grave dignidade, ressaltando que todos esses atributos ele conseguiu transferir, para seus filhos, em forma de lição de vida. Zeca Porto – como é mais conhecido -, agradecerá a homenagem em nome de toda a família. Para Sílvio Pélico Porto Filho, defensor público  em plena atividade,  a celebração do Centenário natalício de seu pai traduz um elevado gesto de reconhecimento ao conjunto de valores – humanos e profissionais – de um homem detentor de grave formação cultural e política, de grave viés humanístico, que muito contribuiu para o Desenvolvimento geral da Paraíba, por décadas. E, como avalia  o desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, que está à frente da CCM, a homenagem se reveste de todo o verniz de um cidadão que soube se enquadrar, perfeitamente, em todos os compartimentos da geometria da grandeza humana, com talento e formação  de alguém talhado para o exercício da promoção do Bem Comum, com um senso de justiça que bem interpreta o princípio de dignidade humana.