04/09/2018 - 13:27

TCE cria “Espaço da Cidadania Digital” com envolvimento de universidades



O Tribunal de Contas da Paraíba promoveu o lançamento, na tarde desta segunda-feira (4), do “Espaço da Cidadania Digital”, projeto que envolve alunos de universidades na avaliação e desenvolvimento de ideias e experimentos em favor do controle social dos atos e gastos públicos.
O propósito é contribuir com o aprimoramento, expansão e difusão de programas e aplicativos do TCE dispostos ao público e alguns já conhecidos nacionalmente.
É o caso de iniciativas como o Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade (Sagres), dos Indicadores do Desempenho dos Gastos Públicos em Educação (IDGPB), do Sistema de Georreferenciamento de Obras Públicas (GeoPB), do Programa Voluntários do Controle Externo (Você, em sua versão digital), ou do Programa “TCE – Escola e Cidadania”.
Recebidos pelo presidente do TCE, conselheiro André Carlo Torres Pontes, 25 alunos do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) – a primeira das universidades conveniadas – foram apresentados ao projeto e à “Sala Digital”, ambiente com capacidade para 30 estações de trabalho (mesas com computadores), tela, poltronas e equipamento destinado à projeção de filmetes, peças e painéis eletrônicos. Tudo funcionará no Centro Cultural Ariano Suassuna, pertencente ao Tribunal.
“Teremos, aqui, um Laboratório de Criatividade Digital”, explicou ele, ao dar conta, também, de convênio idêntico já firmado pelo TCE com o Instituto de Educação Superior da Paraíba (Iesp), enquanto acertos semelhantes são conduzidos, ainda, com a UFPB e a Uninassau.
Integram-se ao projeto, em razão disso, estudantes de Comunicação, Informática e Direito. “Eles avaliarão o que já temos e contribuirão, certamente, com propostas e ideias novas”, disse o conselheiro André Carlo.
Para o auditor de contas públicas André Agra, coordenador da Sala Digital, os estagiários também podem colaborar com a inserção das suas universidades na “Era 4.0” da revolução digital, fenômeno que se processa nos centros mais avançados do mundo.
Convênio inaugura programa inédito de estágio curricular obrigatório
Com sua presença no projeto “Espaço da Cidadania Digital”, experiência sem similar no âmbito dos Tribunais de Contas do País, o Unipê inaugurou, por sua vez, um programa de “Estágio Curricular Obrigatório” até então inexistente nas universidades paraibanas.
Os alunos de Direito e Informática, reunidos na Sala 1 da Escola de Contas Conselheiro Otacílio Silveira (Ecosil), órgão do TCE, ali também ouviram de seus professores palavras de estímulo ao total envolvimento com a iniciativa de importância indiscutível para a ampliação do controle social, conforme avaliaram. “Vocês podem transformar vidas”, considerou o professor de Direito Arthur Souto.
Outro professor do Unipê, Carlos Bráulio, que integra o quadro de auditores do Tribunal, parabenizou os estudantes pela aprovação no processo seletivo que a eles permite a presente condição de estagiários. “Aproveitem, aprendam e nos tragam novas experiências”, pediu.
Ainda dirigiram mensagens de incentivo aos alunos do Unipê os professores Antonio Toscano, Felipe Soares de Oliveira e Pedro Amorim. “Vocês são privilegiados. Vão perceber que o Tribunal de Contas da Paraíba pode ser um celeiro de talentos”, observou Carlos Bráulio.
O conselheiro André Carlo encarregou-se, pessoalmente, de iniciar a capacitação do grupo de estudantes que, antes disso, conheceram as instalações a serem ocupadas durante todo o tempo do estágio do qual sairão, eles mesmos, como multiplicadores de conhecimentos, em benefício de grupos subsequentes. A “Sala Digital” estará disposta à visitação pública e também servirá ao trabalho de jornalistas encarregados de coberturas de eventos do Tribunal, caso assim desejem.