19/10/2020 - 11:09

Situação não comparece , assembleia forma outra mesa e elege novo Conselho do Belo



Estranho.

Assim, achei o que aconteceu neste domingo, na Maravilha do Contorno, mas depois explico essa estória.

Vamos aos fatos.

Voltei da capital do Rio Grande do Norte no final da tarde deste domingo e não li nenhuma notícia da eleição para a escolha dos novos membros do Conselho Deliberativo do Botafogo, o Belo de João Pessoa. Não li porque não tinha uma linha escrita, em canto algum. E, além de eleger conselheiros, o pleito iria, principalmente, escolher o novo presidente e vice. A chapa da situação não compareceu, apenas dois membros, entre eles Herbert Levy, foram ao CT do Clube. Teve a espera em seu tempo regimental previsto no estatuto. Após isso, a Assembleia Geral foi formada e uma outra Mesa de Comissão Eleitoral foi formada e o os que tinham direito a voto, de forma legal, elegeram o novo Conselho Deliberativo com seu presidente e vice composto por : Alcedo Gomes e José Maria, respectivamente,  foram conduzidos aos cargos, por unanimidade.

A Comissão Eleitoral foi formada por botafoguenses honestos, respeitados e com história no Clube. Fábio Rangel (presidente), Raimundo Nóbrega (primeiro secretário)  e Antônio Fragoso (segundo secretário). Na formação das chapas, o presidente da Comissão perguntou se alguns dos conselheiros eleitos queria se candidatar a presidente ou vice.

O silêncio foi a resposta.

Explicando o que achei estranho.

O que diz a atual diretoria

Em resposta ao que aconteceu na manhã e início da tarde de hoje, na Maravilha, o presidente atual do Belo, Orlando Soares usou o Instagram pessoal do Botafogo da Paraíba (de forma pessoal, equivocada e errada) para dizer que foi golpe o que aconteceu na sede do clube de João Pessoa (leia a postagem na rede social).



 

Além de errar e abusar da impessoalidade de um dos  instrumento do Clube, a postagem vetou comentários ao restringir essa opção aos seguidores, torcedores e sócios do Belo nesta rede social.

Num processo eleitoral que ocorre em todos os municípios do país para escolher prefeitos e vereadores isso seria uso da máquina administrativa.

Entenda o caso

A eleição do Conselho Deliberativo do Botafogo-PB, iniciada domingo passado (11), foi cancelada pela ex-comissão eleitoral sob justificativa de não ter condições de cumprir uma decisão judicial.
 
Essa decisão judicial garantia a inscrição de 21 sócios contribuintes na chapa de oposição, excluídos dias antes do pleito do dia 11. O presidente da comissão, Flávio Wanderley, só informou de tal decisão judicial após algumas horas.
 
Após retirar 26 candidatos da chapa Belo de Verdade (oposição), a ex-comissão eleitoral, se viu na obrigação de cumprir uma decisão judicial de incluir 21 dos 26 retirados.
 
Flávio Wanderley e José Di Lorenzo Serpa Filho, membros da comissão eleitoral e candidatos na chapa Belo Para Todos (situação), da diretoria do clube, esperaram cerca de três horas, das 12 até as 15h, para informar que iria cumprir a decisão judicial que determinava a inserção dos sócios, mas que não teria como cumprir porque a cédula usada até a decisão não constavam seus nomes e que por isso não tinham como cumprir plenamente a decisão.
 
Por que a situação não foi ?
 
Sabendo que não podia reverter a decisão judicial da inclusão dos 21 membros, excluídos de forma ilícita, segunda a justiça, a situação se viu derrotada e não compareceu ao pleito deste domingo.
 
Ufa.
 
Agradecer ao radialista e colega Souza Júnior.
 
Sem  ele, o domingo da imprensa de João Pessoa ia passar em branco. Zero de informação da eleição no Belo.
 
Triste.
 
Valeu Sousa.
 
Inclusive eu me penitencio, pelo menos até às 20h00, quando resolvi escrever.