08/03/2019 - 16:49

“Se Maria fosse feminista, Jesus não teria nascido”, diz Eliza em Dia Internacional da Mulher



Nesta sexta-feira (8), no Dia Internacional da Mulher, a vereadora Eliza
Virgínia (PP) fez criticas ao aborto, que mata diversas crianças todos os
dias no país. Em Sessão Ordinária na Câmara Municipal de João Pessoa
(CMJP), nesta quinta-feira (7), a parlamentar destacou a força da mulher,
que optou também em cuidar dos seus filhos: “A mulher deve ser
respeitada quando ela quer trabalhar, mas também não pode sofrer
discriminação se quiser simplesmente cuidar da sua família”.
No seu discurso, Eliza citou Maria, mãe de Jesus, como uma mulher
exemplo, pois enfrentou diversos desafios para ter seu filho. “Se Maria
fosse feminista, Jesus não teria nascido. Ela teve motivos para abortar?
Sim, pois ela não coabitava com José e estava grávida. Se fosse nesta onda
do feminismo, ela poderia fazer isso, mas não, Maria enfrentou de frente
aquela situação e optou em ter Jesus. Se não fosse essa atitude dela, hoje
não teríamos o Rei Jesus”, pontuou a parlamentar.
A vereadora fez uma analise sobre o cenário atual envolvendo a mulher.
“Com a busca da igualdade entre homens e mulheres, a mulher está
herdando tanto os bônus como também os ônus. A mulher hoje também
está se envolvendo mais em brigas, em crimes, entre outros problemas, por
isso precisamos analisar essa nova mulher na sociedade”, disse a vereadora.
“Precisamos ter mais dialogo entre as pessoas, seja entre casais, pais e
filhos. O ser humano precisa dialogar mais e buscar a paz, pois só assim
teremos uma sociedade melhor e mais humanizada”, finalizou Eliza.