23/09/2020 - 18:54

Oposição do Botafogo-PB anuncia que disputará eleições do Conselho Deliberativo em outubro



A frente Belo de Verdade, grupo ligado a oposição a administração atual do Botafogo-PB, anunciou ontem (21) que irá concorrer nas eleições para o Conselho Deliberativo em outubro, e apresentou um Plano de Gestão em suas redes sociais.

Após um longo período de unidade e paz política, a Maravilha do Contorno se vê faltando cerca de 20 dias para um pleito que já é histórico, e promete ser disputado. Grupos de conselheiros, outrora aliados, irão bater chapa em busca do controle do time da capital.

O Belo vive dias de intensa disputa nos bastidores desde o rompimento público entre o ex-presidente Sérgio Meira e o conselheiro e ex-dirigente Breno Morais durante o programa Microfone Aberto, da Rádio Tabajara. Meira, no poder à época, queria tocar o clube ao seu modo, enquanto Morais, aliado de longa data, questionava a fraqueza do então mandatário no comando do clube.

Cerca de um mês atrás Meira tentou costurar junto à Alexandre Cavalcanti, ex-vice presidente jurídico e um dos líderes da frente, um acordo que envolveria o retorno de membros do grupo a cargos na direção executiva, além da abertura das contas para análise a fim de buscar uma saída conjunta aos problemas financeiros enfrentados. O pacto não previa unificação para as eleições.

Devido a pressões de membros da atual gestão contrários ao acerto, Sérgio Meira renunciou, o acordo foi desfeito e o clima político se acirrou ainda mais no bairro do Cristo. Orlando Soares, vice-presidente que assumiu o controle do clube, se nega a qualquer conversa, e demonstra interesse em ser reconduzido ao cargo pelo novo conselho que será eleito no mês que vem.

Em nota, a frente bate na atual gestão, naqueles que dizem ter “caído de paraquedas”, por sua intransigência em não aceitarem o acordo e por atitudes temerárias que levaram a erros que resultaram em uma temporada ruim, brigando contra o rebaixamento na Série C e fora da final do paraibano após oito anos.

O grupo ressalta todas as conquistas e os avanços que foram possíveis durante os últimos onze anos de união, reconhece os erros cometidos e afirma que aprenderam com eles. Por isso, não falam em retomar o clube, mas em um recomeço a frente instituição.

– Queremos ajudar a formar um novo Botafogo Futebol Clube para futuro. Um clube mais plural, com participação ativa da nossa torcida, com transparência de verdade, mas com a marca do nosso grupo, com responsabilidade com o dinheiro do clube, com respeito à instituição porque sabemos bem a dor e as alegrias de carregar essa estrela vermelha no peito – diz o comunicado.

O Plano de Gestão apresentado é focado em três eixos chamados de Belo Legado, Belo Futebol e Belo Futuro. O primeiro diz respeito a pontos da estrutura administrativa e organizacional do clube. O segundo ponto aborda propostas exclusivas ao departamento de futebol, como uma maior integração com a base. Por último, o grupo propõe modernização do estatuto e transparência financeira. Os pontos detalhados podem ser vistos no site da frente.

As eleições para a diretoria executiva do clube são de forma indireta e restrita. Apenas sócios beneméritos, honorários, patrimoniais e contribuintes podem votar para a formação do Conselho Deliberativo na Assembleia Geral. São os recém empossados conselheiros que votam para eleger o presidente, vice e o Conselho Fiscal para o biênio 2021/2022.

Com a exceção da categoria de sócios contribuintes, que custa o valor de 200 reais por mês, todas as outras não permitem votar ou ser votado, sendo necessário um processo pouco aberto e exclusivo para conquistar a condição.

Cada chapa tem que inscrever entre 20 a 50 nomes de sócios em pleno gozo dos seus direitos estatutários para concorrer as vagas do CD. O associados aptos a votar no dia 11 de outubro poderão escolher entre as chapas registradas os seus nomes preferidos até o máximo de 50 escolhas.



Voz da Torcida