08/10/2018 - 18:31

Operação Voto Seguro registra mais de 60 ocorrências eleitorais na Paraíba



Em mais um pleito eleitoral que contou com a presença efetiva da Polícia Militar nos 223 municípios da Paraíba, a corporação registrou pouco mais de 60 ocorrências relativas a crimes eleitorais, resultando na condução de mais de 70 suspeitos, apreensão de dinheiro e material de propaganda. Os números compreendem parte do período da Operação Voto Seguro, que começou na última quarta-feira (3), e terminou no domingo (7), após a eleição.
De quarta-feira (3) até as 21h do domingo, foram 62 ocorrências em que a Polícia Militar foi acionada por eleitores, membros da Justiça Eleitoral, por denúncias feitas ao número 190, ou por iniciativa própria, resultando na constatação de algum indício de crime eleitoral em 62 municípios. O domingo registrou a maior quantidade de ocorrências: foram 47. Ao todo, nos cinco dias, 77 pessoas foram conduzidas às delegacias da Polícia Federal ou Civil, ou apresentadas na Justiça Eleitoral. Entre os crimes estavam propaganda irregular, transporte de eleitores, boca de urna, e outros.
O emprego do efetivo policial e o acompanhamento das ocorrências eleitorais aconteceram a partir dos Centros de Decisão Estratégica Integrados (CDEI), que reuniam representantes de diversas instituições, e foram instalados nas sedes da Justiça Eleitoral nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Patos. Após 14 anos, tropas federais não foram requisitadas para Campina Grande. Além disso, não foram registradas ocorrências de grande vulto na cidade. No domingo, foram três conduzidos para as delegacias, sendo uma suspeita de fazer boca de urna, e os outros dois por tumulto em uma seção eleitoral.
“A tranquilidade do pleito foi resultado do empenho e trabalho das forças de segurança, e da atuação direta de toda a corporação da Polícia Militar. Todos os recursos, tanto humanos, logísticos, e de tecnologia, foram empregados desde o planejamento até a execução, para trazer ainda mais tranquilidade ao andamento do pleito, garantindo à população a segurança para o exercício do direito ao voto”, disse o comandante-geral da PM, coronel Euller Chaves. “Também agradecemos a confiança da Justiça Eleitoral para com a nossa corporação, o que só fortalece as instituições e o cumprimento de suas atribuições constitucionais”, finalizou.
VOTO SEGURO – Desde a última quarta-feira, foram mais de 4500 policiais e bombeiros militares empregados direta e indiretamente nos locais de votação. Apenas de João Pessoa, 1.175 policiais e bombeiros foram mobilizados para os Comandos Regionais Metropolitano, de Campina Grande e de Patos, para a posterior atuação nos municípios. A Operação Voto Seguro deverá acontecer também no segundo turno, e a corporação já prepara um novo planejamento para as novas ações.
Policiamento ordinário
Além da Operação Voto Seguro, o 4º BPM (Batalhão de Polícia Militar) deu continuidade ao policiamento ordinário e, durante o final de semana, prendeu 11 pessoas em seis diferentes cidades da região. Em Guarabira, um homem foi preso suspeito de furto qualificado depois que a vítima acionou a Polícia Militar informando que alguns objetos tinham sido furtados da sua residência. A guarnição foi ao local e, depois de constatada a veracidade da informação, realizou rondas pelas imediações e conseguiu identificar os suspeitos,que estavam se desfazendo dos objetos furtados.
Em Cuitegi, chegou ao conhecimento do Copom que um indivíduo estava danificando os objetos da residência e tentando agredir a sua mãe. De imediato, a guarnição policial foi ao local e prendeu o suspeito, que foi autuado em flagrante pelo crime de violência doméstica. Em Guarabira, a Polícia Militar foi solicitada a comparecer ao local onde, segundo o informante, havia um homem que havia ingerido bebidas alcoólicas e estava perturbando a população. Os policiais se dirigiram até o local e, de pois de confirmarem a veracidade da denuncia, prenderam o suspeito.
O Copom de Belém recebeu uma denúncia de que um homem estava ameaçando uma idosa e seu filho, motivado por uma desavença familiar. A guarnição do capitão leite, comandante da 3ª Companhia, foi até o local e presenciou o suspeito com uma foice. Ao avistar os policiais militares, ele empreendeu fuga, mas em seguida foi alcançado e preso. Também em Guarabira, a Polícia Militar tomou conhecimento que um indivíduo agredia fisicamente uma mulher e quebrava alguns objetos no interior do apartamento dela. Ao chegarem ao local, os policiais constataram os danos materiais, assim como uma lesão leve na vítima. Ele foi preso suspeito de violência doméstica.
Em Belém, os policiais tomaram conhecimento de que um homem armado com uma faca teria ido várias vezes na residência da sua ex-namorada fazendo-lhe ameaças. A guarnição realizou diligências e conseguiu localizar e desarmar o suspeito, que foi preso. Policiais do Destacamento de Caiçara cumpriam ordens da Justiça Eleitoral para a dispersão de pessoas quando um homem saiu com sua moto em alta velocidade praticando direção perigosa, vindo a cair da moto logo em seguida. Contido pelos policiais, ele foi conduzido à delegacia, onde foi lavrado, por policiais da CPTran, o termo de constatação de embriaguez alcoólica.
Policiais do Destacamento de Cuitegi foram solicitados por uma mulher que informou que um homem estava embrigado e fazendo baderna. Ele foi detido pelos militares depois que foi constatada a veracidade da denúncia. Em Guarabira, a guarnição comandada pelo tenente-coronel Gilberto realizava rondas quando se deparou com um homem dentro de um veículo fazendo uso de substâncias entorpecentes. Após a abordagem foi encontrado no interior do veículo um recipiente contendo uma pequena substância semelhante à maconha.
Militares de Belém, também sob o comando do capitão Leite, se depararam com um homem visivelmente embriagado conduzindo um veículo. Após a abordagem e diante da referida constatação, foi realizado o teste do etilômetro por policiais da CPTran, cujo resultado comprovou o estado de embriaguez alcoólica. Todos os presos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil.