12/09/2018 - 18:49

Justiça determina a prisão preventiva dos cinco suspeitos de participar de ação criminosa no PB1



O diretor do Fórum Criminal da Capital, juiz Adilson Fabrício Gomes Filho, converteu a prisão em flagrante em prisão preventiva dos cinco acusados de participar da ação criminosa no Presídio de Segurança Máxima da Paraíba Romeu Gonçalves de Abrantes, o PB1, em Jacarapé, que proporcionou a fuga de detentos na madrugada da segunda-feira (10). O magistrado presidiu, na tarde desta quarta-feira (12), as audiências de custódia, quando ouviu os acusados e determinou que eles sejam encaminhados ao PB1.
Mastroianni Leonel Santos, Severino Manuel da Silva, Michel Silva Lisboa, José Jorge de Sousa Neto e Karlos Emanuel dos Santos Marques estão sendo acusados de receptação, associação criminosa, uso de documento falso, fuga de pessoa presa (majorada), porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e tráfico de drogas.
De acordo com os Termos de Audiência de Custódia, a Polícia teria recebido denúncia de que pessoas envolvidas na ação criminosa que resultou na fuga de presos da Penitenciária Máxima PB1, em Mangabeira, na madrugada do dia 10 de setembro de 2018, estariam escondidas em um apartamento no Bairro de Manaíra e empreendeu diligências para detê-los. Os cinco acusados foram presos em flagrante, com cinco mulheres, em um Flat localizado na Avenida João Maurício, na orla de Manaíra.
A ação de resgate dos presos do PB1 envolveu o uso de explosivos e armas de grosso calibre, com muitos disparos de fuzis. Parte dessas armas foi apreendida no momento em que os custodiados foram detidos, além de drogas e outros equipamentos supostamente utilizados na prática delituosa.
“No caso, estão presentes os requisitos da prisão preventiva, qual seja, fumus comissi delicti e perinculum libertatis. Além disso, a prisão preventiva é necessária para a garantia da ordem pública, para conveniência da instrução processual e para assegurar a aplicação da lei penal”, afirmou o juiz Adilson Fabrício, ao determinar o encaminhamento dos acusados para o PB1.