22/03/2019 - 19:58

Frente Parlamentar da Água ouve demandas de agricultores e levará pleitos para o Governo do Estado



A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), através da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar, realizou nesta sexta-feira (22) audiência pública no município de Catolé do Rocha, no Sertão paraibano. A audiência foi proposta pelo deputado Jeová Campos com o intuito de debater políticas públicas para fortalecer a agricultura, além de ouvir demandas dos agricultores que serão encaminhadas também ao Governo Estado.
O presidente da Frente Parlamentar, Jeová Campos, avaliou que a agricultura familiar na Paraíba exige um olhar com mais atenção pelas autoridades do estado. Para Jeová, os trabalhadores pedem a oportunidade de produzir mais, melhorando a qualidade dos alimentos que vão à mesa dos paraibanos. “A agricultura familiar é o caminho fundamental para o desenvolvimento regional e a Assembleia está empenhada em promover encontros qualificados como este. Pediremos uma audiência com o governador e esperamos contar com o apoio de todos os deputados da região para descentralizar subgerências, facilitando a confecção e a implantação de projetos”, afirmou Jeová. O deputado acrescentou ainda que a agricultura familiar precisa de investimentos para continuar produzindo alimentos sem agrotóxicos.
O evento foi visto como positivo pela deputada Pollyanna Dutra, que destacou a importância de levar ao Sertão paraibano um debate que precisa ser realizado de forma direta com o povo, ouvindo seus problemas e dialogando para encontrar medidas que possam melhorar a qualidade de vida dos moradores da região. “A região de Catolé do Rocha é muito forte na agricultura. Penso que esses temas, que dizem respeito ao povo, devem ser tratados com o povo. A discussão precisa sair da Assembleia e vir aqui para compartilhar com a população, porque é daqui que saem as soluções”, declarou a deputada.
O secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento do Semiárido, Luiz Couto, disse que ouvir e dialogar com os agricultores é importante para levar ao Governo do Estado as demandas colhidas e solicitar recursos. “Nós vamos trabalhar na perspectiva de que possamos apresentar projetos. É importante que tenhamos recursos do próprio governo para estabelecer uma série de programas que possam dar condição para que agricultura possa produzir, possa comercializar e trazer retorno para o agricultor, para sua família e para a sociedade”, explicou Couto.
Para o chefe do Núcleo de Assistência Escolar Integrada da 8ª Geração de Catolé do Rocha, Ubiracy Feitosa, a audiência promovida pela Assembleia Legislativa incentiva a união e o debate entre todos que produzem alimentos na região. “Produzimos alimentos livres de agrotóxicos, são produtos naturais e de muita importância para toda a comunidade de Catolé do Rocha. É a partir deste evento que nossos agricultores são incentivados a produzir com mais qualidade tudo aquilo o que será fornecido aos nossos alunos”, afirmou Ubiracy.
A senhora Da Paz, que é agricultora no município, comemorou a presença da Assembleia junto aos agricultores e ressaltou que esta é a melhor forma que o parlamento tem de valorizar a agricultura familiar e elaborar políticas públicas para o segmento. “É o olhar da Assembleia vindo até o agricultor familiar, e a partir daí os deputados vêem pessoalmente que os agricultores do sertão estão organizados e têm como desenvolver a agricultura no semiárido paraibano”, pontuou Da Paz.
Já o presidente da Cooperativa Catolé Leite, Jamesson Andrade, destacou que a audiência pública promovida pelo Poder Legislativo estadual faz com que os trabalhadores da agricultura e da pecuária da região possam apresentar melhor os seus produtos. “A presença da Assembleia aqui fortalece, não só a cooperativa, mas também os associados que fazem parte dela. Porque eles vão ver que a matéria prima deles permite a todas as pessoas terem acesso aos seus produtos”.
Após ouvir a população, a Frente Parlamentar irá elaborar uma carta proposta com base nas reivindicações dos agricultores e encaminhá-la ao Poder Executivo.