22/05/2020 - 14:04

Empresário paraibano lança plataforma com solução de vouchers para pequenos negócios



Uma solução prática e de fácil manuseio até para os mais resistentes à tecnologia. Por meio de uma plataforma, o empreendedor pode criar vouchers para que seus clientes possam usá-los posteriormente, após a pandemia, quando for retomada a normalidade, garantindo, assim, que a empresa continue tendo fluxo de caixa. Essa é proposta da GetMundi (https://getmundi.com/vouchers/) plataforma criada pelo paraibano Leo Ushoa.

Além de ser uma ótima opção para aqueles que de fato não estão podendo oferecer seus serviços, como salões de beleza, a estratégia também permite a venda on-line parcelada, o que pode beneficiar tanto o cliente como o empreendedor. Segundo o analista do Sebrae Paraíba, Alexandro Teixeira, os vouchers são uma forma que as empresas encontraram de manter o faturamento para que não fechem suas portas durante esse período. "O que nós alertamos, no entanto, é que o empreendedor verifique realmente se ele tem condições de dar esse desconto e se a empresa vai conseguir atender esses clientes futuramente, tudo de forma bem planejada", destacou.

Outra dica dada pelo analista Alexandro Teixeira é que mesmo com a possibilidade dos vouchers, o empreendedor continue mantendo o contato com o cliente. "Dê dicas, ensine a ele a fazer determinadas coisas mais simples, como fazer uma maquiagem básica, uma manutenção nas unhas, para que, no retorno à normalidade, o cliente lembre e venha a consumir os serviços", destacou.

A GetMundi - Na GetMundi, é possível criar uma página de venda de vouchers para serem utilizados no futuro, pós-pandemia, assim como oferecer diversos tipos de promoções para consumo imediato. Segundo o empresário Leo Ushoa, fundador da empresa, em menos de cinco minutos, qualquer lojista, até mesmo aquele sem experiência alguma em tecnologia, começa a vender on-line.

"Nossa empresa já fornecia soluções tecnológicas para diferentes empresas de serviços, principalmente nas áreas de educação, viagem e eventos. Com a quarentena resolvemos criar um novo produto que pudesse de verdade impactar as empresas, tanto as que estão fechadas e impossibilitadas de faturar, como também as que estão abertas, mas cujos empreendedores não têm conhecimento técnico nem tempo para criarem e-commerces complexos", contou.