08/01/2019 - 15:03

Bruno Farias rebate nota da PMJP e afirma que nomeação de Lucélio infringe, sim, a Lei antinepotismo



“A emenda saiu pior que o soneto”. Foi assim que o vereador Bruno Farias (PPS) avaliou a nota divulgada pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, negando a prática de nepotismo na nomeação, para o cargo de Secretário Chefe de Gabinete da PMJP, de Lucélio Cartaxo, irmão gêmeo do prefeito Luciano Cartaxo.
 
A nota diz que o caso de Lucélio não se enquadra na Lei Nº 13.332, de 29 de dezembro de 2016 (de iniciativa do próprio prefeito), que proíbe a contratação e o exercício de cargo em comissão ou de função gratificada por cônjuge, companheiro ou parente, em linha reta ou colateral, até o terceiro grau, do Prefeito, Vice-Prefeito, dos Secretários Municipais e dirigentes de autarquias.
 
“Ora, o cargo de Secretário Chefe do Governo é um cargo em comissão, então se enquadra, sim, na Lei Municipal que o próprio prefeito apresentou e sancionou com pompas e circunstâncias em 2016, querendo posar de gestor moderno e austero”, observou Bruno.
 
A nota traz ainda que Lucélio “possui evidente qualificação técnica e idoneidade moral para o desempenho do cargo”, o que, para o vereador Bruno não retrata bem a verdade. “Quanto à idoneidade moral, não há nada que manche a reputação de Lucélio. Já quanto à qualificação técnica, o que mais existe são exemplos de incapacidade e total falta de preparo, desde a sua pífia e sôfrega passagem pela CBTU”, disse.
 
“Não bastasse ter dividido o ventre com o próprio Lucélio, o prefeito Luciano parece querer dividir também a cadeira da Prefeitura Municipal com seu maninho querido”, finalizou Bruno.