05/09/2019 - 07:52

Assembleia debate surto de sarampo no Brasil e prevenção da doença na Paraíba



A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou, nesta quarta-feira (4), sessão especial para debater surto de sarampo no Brasil e medidas eficazes de prevenção da doença no Estado. A sessão, proposta pelo presidente da Casa, Adriano Galdino (PSB), contou com a presença de diretores de instituições hospitalares, do secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiros, e outros secretários municipais.
Para Adriano, o objetivo da discussão é encontrar soluções, juntamente com autoridades de saúde do estado, para fazer o enfrentamento da doença no território paraibano. “Os órgãos oficiais só estão divulgando de forma parcial o que está acontecendo no Brasil, mas a Assembleia Legislativa da Paraíba está sempre antenada e preocupada em dar a sua colaboração para que nós possamos enfrentar um eventual surto da doença no Estado de forma muito forte”, afirmou o presidente da ALPB.
O deputado Taciano Diniz (Avante) parabenizou a iniciativa da discussão sobre o tema na Casa de Epitácio Pessoa e destacou a importância da cobertura de vacinação nos municípios do estado. “O Brasil se encontra hoje com algo em torno de 1.680 casos de sarampo catalogados. A Paraíba tinha 50 casos suspeitos. Destes, 24 já foram descartados, mas 26 ainda estão sendo analisados”, comentou. .
Já o deputado Manoel Ludgério (PSD) alertou que o estado de Pernambuco já registrou a primeira morte por sarampo e a Paraíba precisa adotar medidas preventivas para combater a doença. “Na Paraíba existem casos suspeitos, por isso a Assembleia sai numa atitude de vanguarda ao trazer esse assunto para o Parlamento e, a partir daí, cobrar do Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde e de órgãos do setor, que adote urgentemente uma política no sentido de imediatamente combater no nascedouro da doença, que já tinha sido erradicada no Brasil em épocas passadas”, ressaltou.
O secretário estadual de Saúde, Geraldo Medeiros, reiterou a importância das secretarias municipais de realizarem campanhas de vacinação no combate ao vírus e do cuidado especial a pacientes transplantados, que usam imunossupressores ou com doenças como lúpus, artitre reumatoide ou diabetes.
“A secretaria tem feito o seu papel e emitiu um alerta há um mês, aproximadamente, mas a função principal é dos secretários municipais de Saúde. O Ministério da Saúde produz e compra as vacinas e o Estado recebe e repassa aos municípios. Então, cabe aos agentes de saúde nos municípios começarem campanhas de vacinação, fazerem a busca dessa população de risco, no sentido de vacinar essa população, porque fatalmente nós teremos casos de sarampo no estado”, explicou.
De acordo com a presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde da Paraíba (Cosems-PB), Soraya Galdino, o órgão planeja uma ação de suporte para imunização nos municípios paraibanos com dificuldade financeira. “Nós sabemos que temos alguns municípios que têm muita dificuldade de custo e de recursos humanos e a gente já está articulando, com a secretaria de Saúde, para chegar a eles e dar mais apoio, tanto técnico como financeiro, para que esses municípios tenham condições de iniciar a sua campanha”, concluiu.
Também participaram da sessão especial os deputados Anderson Monteiro, Cabo Gilberto Silva, Dr. Érico, Dra. Paula, Júnior Araújo, Jutay Meneses, Wallber Virgolino e Wilson Filho; o presidente do Conselho Estadual de Saúde, Antônio Eduardo Cunha; e a secretária executiva de Saúde do Estado, Renata Nóbrega.