23/01/2020 - 07:17

Ano Letivo de Santa Rita poderá não ser deflagrado, no tempo programado, por indicativo de greve do magistério



O Ano Letivo de Santa Rita, que será deflagrado no dia 3 de fevereiro, segundo assessores do prefeito Emerson Panta (PSDB), poderá sofrer alteração temporal por causa de um movimento de combate a uma defasagem salarial da categoria, que, de acordo com o presidente do Sinfesa, José Farias, o Zé do Sindicato, remonta aos anos de 2017, 2018, 2019 e 2010 – considerando-se que a Data Base de reajuste salarial da categoria é, exatamente, o mês de janeiro.
O que abre essa perspectiva é o resultado de uma Assembleia-Geral que o Sinfesa realizou, n a manhã de hoje (22), na presença de dezenas de servidores do magistério municipal, enfatizando uma defasagem salarial, de 45 por cento, em caso dos supervisores escolares, professores de nível médio e superior, além do pessoal de apoio (nesse caso, a defasagem é de cerca de 18 por cento), que se verifica nos três primeiros anos do prefeito Emerson Panta. Seguindo Zé do Sindicato, no governo Panta, o funcionalismo o municipal, no geral (não apenas em relação ao magistério), não foi contemplado com qualquer percentual de aumento salarial.
                                            Encontro com o prefeito
Na Assembleia de hoje, os servidores resolveram acatar o convite do gestor municipal de se reunirem, na manhã de sexta-feira que vem (24), para discutirem a pauta de reivindicações da categoria (que é o pagamento dos percentuais relativos à defasagem em questão), e a melhoria nas condições de trabalho dos servidores. Dependendo do que se decida no encontro, entre as partes, poderá ser tirado um indicativo de greve, no começo da semana que vem, através de outra Assembleia-Geral da categoria. Daí, admitir-se que o Ano Letivo corrente poderá ser alterado.