17/03/2018 - 16:44

O bate cabeça da oposição paraibana


É de causar muita surpresa o  que está ocorrendo  entre os  partidos  que fazem oposição ao  governo Ricardo Coutinho com relação a disputa pela  a  principal cadeira  do Palácio da Redenção. Surgiram 03  pré-candidaturas( Luciano Cartaxo (hoje PV),  Romero Rodrigues (PSDB)   e  José Maranhão  (MDB)  que ,   segundo  os opocionistas,  representavam o bloco.

Cansado de  esperar uma definição  por parte  dos tucanos e dos emedebistas, Cartaxo decidiu permanecer    na Prefeitura de  João Pessoa até o final de 2020.  Com a desistência do gestor  pessoense, Romero   e Maranhão fincaram ainda  mais as  suas pretensões pelo direito  de disputar o  pleito chancelados pelo  o agrupamento.  

Só  que,  no ninho tucano, apesar de todas as negativas surge  o  nome do  deputado federal Pedro Cunha  Lima como opção  para  a sucessão do   governador Ricardo Coutinho(PSB). Além disso, eis que aparece o  vice-prefeito  de João  Pessoa,  Manoel  Júnior (MDB)  se colocando  a disposição dos   oposicionistas  para concorrer a sucessão estadual.   Inclusive, foi  conjecturado que   Manoel                                  Júnior poderia  se filiaria  ao PSDB. Um dia depois do  anúncio do vice-prefeito de João  Pessoa, Romero  comunica  que permanece  a frente da Prefeitura  de  Campina Grande e  pede a vota  de   Cartaxo. Isso só  faz mostrar que a oposião, no estado ,   está completamente de ponta  cabeça, principalmente  nas hostes do tucanato. 

Apesar de  uma corrente contrária,     a pré-candidatura de      José Maranhão continua  firme. O  fato é que enquanto a oposição não chega a  um entendimento  a              pré-  candidatura   de  João Azevedo (PSB) vai  gan ganhando   mais  oxigênio. Podendo, incluisive,  ser  reforçada com  uma  reaproximação política  com  o  prefeito  da  capital.