30/12/2017 - 18:39

A absolvição de Berg Lima


A Câmara Municipal de Bayeux decidiu não cassar o mandato do prefeito afastado Berg Lima  (sem partido). A sessão extraordinária durou 15 horas, e já era madrugada deste sábado (30) quando o plenário por 10 votos a favor e 7 contra optou em salvar o mandato do gestor  afastado. Para ter o mandato cassado, era preciso ter pelo menos 12 votos contra.

Berg Lima foi afastado do cargo em julho deste ano após ser filmado recebendo suposta propina. Uma comissão processante foi instalada pelo legislativo para investigar as denúncias  apresentadas cujo resultado também foi favorável ao denunciado.

O  fato é que  esse resultado gerou  alegria em  uns  e tristeza  em outros .  Os partidários de  Berg  comemoram e os aliados do prefeito interino Luiz Antonio (PSDB) lamentaram.  Mas, também tem quem   ficasse  decepcionado com o  posicionamento dos  parlamentares que ,  de forma alheia aos sentimentos  dos cidadãos que são  independentes e,  assim sendo, esperavam  um final diferente, ou  seja,  o  impedimento de Berg Lima voltar a comandar os destinos da cidade.   

O que a   Câmara  de Bayeux fez,  sobretudo , os vereadores que votaram favorável ao retorno de  Berg  ao cargo de prefeito, foi garantir mais combustível  para a prática da corrupção.  O momento político brasileiro exige que o agente político seja mais zeloso com o  bem público, mas os parlamentares bayeuxeenses decidiram não dá  a mínima a esse sentimento. 

Nem Berg  Lima e  nem  Luiz  Antonio têm condições de gerirem  o município. Como se  sabe, o prefeito em exercício também foi denunciado e está sendo  investigado  pela câmara  sob a  acusação de ter tramado contra Berg.

Quanto a  Berg  Lima, agora resta esperar a decisão  por parte da justiça.  Ele foi absolvido,  politicamente, pelo  poder legislativo da cidade, mas ainda falta a análise jurídica por  parte do  poder  judiciário  para debater o processo de afastamento.

A  Câmara  de Bayeux agiu de  maneira vergonhosa.  Diante dos  fatos, o melhor caminho para  a cidade era  o processo de uma nova eleição. A chance para isso se  materializar ocorreu, mas os vereadores, na contramão da história, decidiram tomar outro rumo.