23/10/2020 - 12:02

Pelé 80 anos: Curiosidades sobre o Rei do Futebol



Estadão separa 10 fatos sobre o ex-jogador no dia do seu aniversário

Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, completa 80 anos nesta sexta-feira. Considerado a maior personalidade do futebol mundial, o mineiro, nascido na cidade de Três Corações, não fez sucesso apenas dentro das quatro linhas. Poucos sabem, mas ele já foi condecorado Cavaleiro da Coroa Britânica pela Rainha Elizabeth II, assim como já compôs músicas para um álbum de Elis Regina e teve aulas de inglês na mesma escola do Beatle John Lennon, que, na época, estudava japonês. Por isso, no dia de seu octogésimo aniversário, o Estadão separou 10 curiosidades sobre sua vida.

Futebol x Serviço Militar
Em 1959, aos 18 anos, Pelé teve de abandonar os gramados da Vila Belmiro para servir o Exército. Ele passou seis meses junto ao Sexto Grupo de Artilharia de Costa Motorizado. Mas isso não o impediu de fazer o que mais amava entre os pracinhas. O Soldado 202 Nascimento, como era chamado, segundo o Centro de Memória do Santos, sagrou-se campeão sul-americano pela seleção das Forças Armadas.


Jogou como goleiro
Além de ter sido um incrível jogador de linha, Pelé também mostrou que tinha potencial para ser goleiro. Ele ocupou a posição de guarda-redes em quatro ocasiões com a camisa do Santos. E o melhor: não foi vazado nenhuma vez. Ele precisou ir para o gol diante da impossibilidade de um outro goleiro assumir o posto. A primeira vez aconteceu foi em 1959, na partida entre Santos e Comercial, válida pelo Campeonato Paulista. O Rei voltou a posição em 1964, diante do Grêmio, pela Taça Brasil, e depois em dois amistosos nos anos de 1969 e 1973.

 
Prodígio
Pelé ainda detém o título de jogador mais novo a vencer uma Copa do Mundo. Ele tornou-se campeão mundial com apenas 17 anos. O feito foi realizado em 1958, durante a Copa do Mundo da Suécia. Essa foi a Copa em que ele mais marcou gols. No total, fez seis gols.

Doutor em educação física
Pelé poderia ter se tornado um educador físico e até mesmo seguido a área acadêmica. Ele é formado pela FEFIS, da Universidade Metropolitana de Santos (Unimes). Em 2018, o Rei foi homenageado com o título Doutor Honoris Causa, uma grande honraria acadêmica que concede o mesmo tratamento para pessoas que obtiveram doutorado.

Nunca jogou na Europa
Hoje é quase impossível pensar em um jogador com as habilidades de Pelé fora do mercado europeu. Mas em seu tempo, o cenário era outro. Assim como a maioria dos atletas contemporâneos ao seu período, Pelé não atuou em clubes do Velho Continente. Aliás, ele vestiu a camisa de apenas dois times ao longo de toda sua carreira. Do Santos, entre 1956 e 1974, e do New York Cosmos, dos Estados Unidos, entre 1975 e 1977.

Relação com a música
Pelé também mostrou ser bem relacionado com a música. Em 1969, ele decidiu ser cantor e fez uma parceria com Elis Regina. Em um compacto chamado "Tabelinha - Pelé x Elis", o Rei participa de dois duetos: "Vexamão" e "Perdão Não Tem Vez". Essa não foi a única participação de Pelé em trabalhos musicais. No ano de sua aposentadoria, ele cantou ao lado do grupo Sérgio Mendes & Brasil 66. O LP que conta com a participação do Rei carrega seu próprio nome.

Relação com o cinema
Além da música, Pelé também manifestou suas habilidades artísticas no cinema. Ele chegou a atuar ao lado de Sylvester Stallone no filme "Fuga para a Vitória" (1981). No Brasil, o Rei integrou o elenco de "Os Trombadinhas" (1979) e "Os Trapalhões e o Rei do Futebol" (1986), ao lado de Didi, Dedé, Mussum e Zacarias.

Aulas com John Lennon
Pelé e John Lennon se encontraram, sem pretensões, em uma escola de idiomas de Nova Yorque. O Rei havia sido recém-contratado pelo New York Cosmos e precisava aprimorar seu inglês. O Beatle, por sua vez, precisava melhorar suas habilidades no idioma japonês. Eles só não previam estudar na mesma instituição. Ambos conversavam durante o intervalo das aulas e Lennon revelou que os Beatles haviam sido barrados de se apresentar para a seleção brasileira na Copa da Inglaterra, em 1966.

Ministro do Esporte
Pelé fez história ao se tornar o primeiro negro a alcançar uma posição de alto escalão na política brasileira. Ele tornou-se Ministro do Esporte de Fernando Henrique Cardoso e ficou no cargo do dia 1º de janeiro de 1995 até 31 de dezembro de 1998. Durante seu mandato, criou a Lei Pelé, que alterou uma série de leis esportivas. A principal delas, em relação ao passe de jogador, que não existe mais.

Cavaleiro da Coroa Britânica
Em 1997, ao lado do então presidente Fernando Henrique Cardoso, Pelé, que era Ministro do Esporte, foi condecorado pela Rainha Elizabeth II Cavaleiro da Coroa Britânica. O título é equivalente ao de "Sir", concedido apenas para ilustres nascidos na Inglaterra. No futebol, além do Rei, Alex Ferguson e Bobby Charlton, que fizeram história no Manchester United, também possuem a mesma honraria.

Estadão