12/09/2019 - 12:48

Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, é internado em Brasília



O ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, de 56 anos, foi internado no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília, na noite desta quarta-feira (11). Até as 12h20 desta quinta, ele continuava no hospital fazendo exames.
Por volta das 10h20, a assessoria do ministério confirmou a internação ao G1, mas não informou o motivo da ida ao HFA.
“Estou no hospital, mas não preciso ficar internado por ora”, escreveu o ministro em mensagem enviada à colunista Andréia Sadi por volta das 10h35. “Nada de infarto. Ontem (quarta) não passei bem à tarde e me escalaram para fazer consultas e exames hoje (quinta).”
O G1 aguarda resposta do HFA.
Ausência na Câmara
Marcos Pontes era esperado nesta quinta na Comissão de Meio Ambiente da Câmara dos Deputados, para uma audiência sobre a exoneração de Ricardo Galvão, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A audiência será remarcada.
A notícia da internação foi dada pelo deputado que presidia a mesa, Rodrigo Agostinho (PSB-SP). Ele afirmou: “Nós estamos com um problema, o ministro Marcos Pontes foi internado no Hospital das Forças Armadas por um problema de saúde. Nós estamos aqui com a equipe técnica do ministério”.
Na mesma sessão, a deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS) disse: “Nós sabemos que foi um motivo de força maior a não vinda do ministro. Um mal súbito, que o ministro inclusive está internado. Estimamos que o ministro melhore o mais rápido possível”.
Ricardo Salles
A internação de Marcos Pontes é a segunda de um ministro de Estado no Hospital das Forças Armadas em 15 dias. Em 27 de agosto, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, deu entrada na Unidade de Emergência “com quadro de mal estar”. Ele recebeu alta no dia seguinte.
Ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente, tem alta do Hospital das Forças Armadas, em Brasília — Foto: Brenda Ortiz/G1
Segundo o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, Salles fez exames que foram considerados “normais”. Em tom de brincadeira, o general classificou o episódio como “estresse ambiental”.
O Ministério da Defesa divulgou nota na qual o médico responsável pela alta do ministro, Nestor Francisco Miranda Júnior, recomendava “repouso pelo prazo de cinco dias”.
Na época da internação, Salles havia entrado em evidência por causa das queimadas na Amazônia.
G1