31/05/2020 - 11:47

Luxa pede volta mais estudada: "Estão forçando uma situação"



Na semana que começou com polêmica, com clubes cariocas debatendo o retorno do futebol com mais proximidade, Vanderlei Luxemburgo pede uma volta mais estudada. O técnico do Palmeiras citou a alta probabilidade até de que um jogador seu tenha contraído o coronavírus, mas sem apresentar sintomas, e contesta quem quer dar exemplo com o Brasil acumulando dias consecutivos com mais de mil mortes em 24h por conta da covid-19.



Vanderlei Luxemburgo falou em estudo para minimizar contágio quando futebol voltar (Reprodução/Instagram)
Vanderlei Luxemburgo falou em estudo para minimizar contágio quando futebol voltar (Reprodução/Instagram)
Foto: LANCE!
"No futebol, as pessoas estão forçando uma situação para o futebol servir de exemplo. Exemplo de quê? Estão morrendo mil e poucas pessoas por dia, vai servir de exemplo de quê? De nada. Tem que servir exemplo de coisa positiva. Não pode ter privilégios para A, B ou C, de voltar no Sul, mas não voltar em Norte, Nordeste, Sudeste... Ou é para todos ou não é para todos, porque todos teremos prejuízo", declarou o treinador à rádio Bandeirantes.



"O que me preocupa, do jeito que vejo o Brasil, com experiência e vivência que tenho, vendo política e coisas que acontecem, não tenho dúvida de que 80% da população brasileira vai contrair o vírus, porque ele continua se espalhando. Não tenho dúvida de que tem jogador meu que está com o vírus, foi assintomático, não sentiu nada e já está imune. Quando voltarmos, com 100% de certeza, muitos serão contaminados. E como vamos fazer?", questionou.

"É obrigação ter um estudo melhor apurado para que, não só o futebol, mas todos os setores voltem. As pessoas serão contaminadas, não tem como, o vírus está aí em tudo quanto é canto. O futebol vai voltar, mas o que tem que ser feito para minimizar a contaminação? Tem muita gente parada, poderiam tomar decisões importantes para a volta ao trabalho, em todos os conjuntos, não ser em uma realidade tão complicada", continuou Luxemburgo.

Sem jogar desde 14 de março, o Palmeiras implantou treinos físicos assistidos à distância e em tempo real pela comissão técnica desde o final das férias coletivas, em abril. O clube tem debatido protocolos e já adquiriu testes para estar pronto quando ocorrer a liberação dos trabalhos presenciais na Academia de Futebol, mas está mantida a decisão do presidente Maurício Galiotte de retorno somente com o aval de todas as autoridades sanitárias.

"A ordem do presidente é esperar que os órgãos sanitários que mandam determinem voltar. O Palmeiras já está totalmente organizado. Se voltar amanhã, já tem planejamento, com distanciamento e tudo preparado. Mas precisamos da ordem, e não vejo por que antecipar essa volta. Se o presidente decidir a volta e todos decidirmos que tem que voltar, vamos voltar, sem problema nenhum".


Lance