30/10/2020 - 19:57

Justiça: Ex-governador é condenado por caixa 2



O juiz Wilson da Silva Dias, da 133ª Zona Eleitoral, condenou o ex-governador do Goiás Marconi Perillo (PSDB) a prestar serviços comunitários e ao pagamento de multa de R$ 18 mil por usar caixa 2 na campanha eleitoral de 2006.

© Sérgio Lima/Poder360 O ex-governador de Goiás Marconi Perillo foi condenado por caixa 2O tucano foi absolvido dos crimes de peculato, associação criminosa e fraude processual. A defesa do ex-governador disse que vai recorrer da decisão.

A pena inicial de Perillo era de 1 ano e 8 meses de prisão em regime aberto. No entanto, houve substituição e o político terá de prestar serviços comunitários durante 1h por dia pelo prazo da condenação.

 

A denúncia contra o ex-governador havia sido feita em 2008 pelo procurador-geral da República, Roberto Monteiro Gurgel. Na ocasião, Perillo foi denunciado por prática de fraude eleitoral com o intuito de omitir a origem ilícita dos recursos gastos nas campanhas, decorrentes de doações vedadas e caixa 2, bem como simular a regularidade das contas prestadas à Justiça Eleitoral ao final das eleições gerais de 2006.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), houve adulteração de contratos de carro de som, simulação de contratação de uma empresa para pagamento de despesas de campanha e uso de notas fiscais frias.

O processo estava em tramitação no STF (Superior Tribunal Federal), já que Marconi tinha foro privilegiado. Porém, após a renúncia ao cargo de governador, em 2018, o caso foi repassado para a Justiça Eleitoral.

Em nota, a defesa do ex-governador disse que foi surpreendida com a decisão, que considerou “absurda”.

“Esperava a sua absolvição, e assim vamos buscar nas instâncias superiores, pois se desconsiderou todas as provas de sua inocência. Nas eleições de 2006, o ex-governador foi eleito no primeiro turno ao Senado Federal, cujas contas foram aprovadas pelo TRE-GO. Os fatos desse processo, que foi proferida sentença, são em relação ao segundo turno das eleições de 2006, do qual Marconi não participou.”

Com Poder 360