30/10/2020 - 20:02

"Fui e sou feliz. O futebol me deu mais do que sonhei", diz Maradona



Aos 60 anos, Diego Armando Maradona é lembrado por seu talento dentro dos campos de futebol e por continuar sendo notícia longe das disputas pela bola. Flagrado em exames antidolping, ele disse, em entrevista ao jornalista Julio Chiapetta, do Clarín, que se não fosse por sua dependência química, do passado, teria continuado jogando por muitos anos mais.

"Mas agora tudo isso é passado. E o que mais lamento é não ter mais meus pais vivos", disse. Quando perguntado sobre seu principal desejo, no seu aniversário, ele respondeu que a pandemia passe logo e que a Argentina se recupere das crises. "Fico muito triste quando vejo crianças sem comer. Eu sei o que é isso. Meu desejo é que os argentinos sejam felizes, com trabalho e comendo todos os dias".

Por ser paciente de risco, Diego Maradona está isolado em sua casa em Brandsen, em Buenos Aires, e faou com o Clarín sobre a tristeza da perda de seu cunhado, marido de sua irmã, vítima de covid-19. "Nunca vi nada igual. (A doença) afeta, principalmente, a América Latina. Tomara que isso termine logo".

Sobre o caso Messi e o agora ex-presidente do Barcelona, Bartolomeu, Maradona disse que sabia que a relação "ia acabar mal". "E achei que Leo (Messi) deixaria o clube. Isso também aconteceu comigo. O Barcelona não é um clube facil. Ele está no clube há muitos anos e não foi tratado como merecia. (...). Mas não é fácil sair. Existe um contrato, a torcida. No Napoli não fiz isso".

Clarin