28/02/2020 - 10:36

Desemprego cai, mas ainda falta emprego a 11,9 milhões; informalidade é recorde



A taxa de desemprego no Brasil caiu no primeiro mês do ano, segundo dados da Pnad Contínua, pesquisa divulgada nesta sexta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado dos três meses encerrados em janeiro foi de 11,2%, atingindo 11,9 milhões de pessoas. Houve queda de 0,4 ponto percentual em relação ao trimestre encerrado em outubro, que serve como base de comparação para o dado atual.Instituições financeiras ouvidas pela Bloomberg projetavam uma taxa de 11,3% para o trimestre encerrado em janeiro. Um ano antes, no trimestre encerrado no mesmo mês de 2019, a taxa havia ficado em 12%.


A Pnad analisa tanto o mercado formal quanto o informal. Esta é a primeira estatística de emprego divulgada para 2020.
Na quinta, o Ministério da Economia anunciou o atraso na divulgação do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados ( Caged ), que monitora o mercado formal. O número só será conhecido na segunda quinzena de março. Tradicionalmente, os dados costumavam ser divulgados por volta do dia 20 no mês subsequente.


Apesar da redução da taxa de desemprego, o aumento da informalidade é alarmante. Em todo o ano de 2019 e no início deste ano, os empregos sem carteira batem recordes. Segundo o IBGE, 38,3 milhões de pessoas, ou seja, 40,7% da população ocupada, não tinham carteira assinada no primeiro mês deste ano.


MSN