27/10/2020 - 19:19

Deputado federal do RJ usa atestado médico para ficar sem máscara em aeroporto



Médico que atestou o documento para o parlamentar Daniel Silveira chamou a proteção facial de "focinheira" e tem conta no Twitter suspensa.

O deputado federal Daniel Silveira (PSL) usou um atestado médico na noite da última segunda (26) para não ter que  usar máscara dentro do aeroporto, quando rumava para Brasília. 

Ainda segundo o deputado, a razão do atestado se dá pois ele sente dores de cabeça "devido ao aumento de CO2 no sangue".

O responsável por expedir a licença médica que autoriza o uso público sem máscara foi o médico Sergio Marcussi .


Em publicação na conta que tem no Twitter, que foi suspenso na tarde desta terça (27), ele afirmou que na segunda fez 20 atestados, e completou dizendo "vamos disseminando".

Em outros posts, ele cita a proteção facial, recomendada pela OMS e pela Fiocruz como " cabresto ", e diz que o atestado "é a solução para você se livrar da focinheira".

Vale lembrar que desde Julho, quando o Presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei, é obrigatório o uso de máscaras de proteção individual em espaços públicos e privados durante a pandemia.

O médico se aproveitou de um artigo da lei sancionada pelo presidente que dispensa o uso da máscara por pessoas diagnosticadas com autismo ou com algum tipo de deficiência :

"Será dispensada no caso de pessoas com transtorno do espectro autista, com deficiência intelectual, com deficiências sensoriais ou com quaisquer outras deficiências que as impeçam de fazer o uso adequado de máscara de proteção facial, conforme declaração médica, que poderá ser obtida por meio digital, bem como no caso de crianças com menos de 3 (três) anos de idade", diz o artigo 7 da lei.

A Fiocruz reforça o uso das máscaras para evitar a propagação da Covid-19:

"A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ressalta que a recomendação de uso de máscaras caseiras em larga escala tem como base a proteção coletiva, uma vez que muitas pessoas podem estar infectadas e serem assintomáticas. Ou seja, poderiam estar transmitindo a doença sem saberem que estão com o vírus", afirma em nota publicada em Abril.

Fonte: IG