02/03/2020 - 20:07

Bolsonaro aposta no Senado para manter veto ao orçamento



O presidente Jair Bolsonaro conta com apoio de parte do Senado para manter seu veto ao orçamento impositivo. Um dos contrários a aumentar o poder do Legislativo na destinação de emendas é o líder da oposição, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Pelas contas dele, 25 senadores querem manter o veto de Bolsonaro.


“Tem três vetos antes de chegar no veto da LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias]. Faremos obstrução até chegar neste veto. Nossa estratégia será a obstrução.”, disse Randolfe ao Congresso em Foco sobre a sessão marcada para terça-feira (3).


As informações deste texto foram publicadas antes no Congresso em Foco Premium, serviço exclusivo de informações sobre política e economia do Congresso em Foco. Para assinar, entre em contato com comercial@congressoemfoco.com.br.


Outro que não concorda com o orçamento impositivo é o líder do PSL, senador Major Olímpio (SP). “Não dá para ter certeza, mas vejo que pode até ser cancelada a reunião de amanhã porque tem muita gente indecisa e Davi e Maia não querem perder”.


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e deputados do Centrão tentam chegar a um acordo com a outra casa legislativa. A Câmara é a maior beneficiada da nova regra, porque em 2020 o relator do orçamento, que teria o poder de controlar R$ 30 bilhões, é Domingos Neto (PSD-CE), um deputado.


Maia  volta na noite desta segunda-feira (2) a Brasília de uma viagem à Europa. Na manhã de terça-feira (3), mesmo dia que está prevista sessão do Congresso para analisar os vetos sobre o orçamento impositivo, o presidente da Câmara vai reunir na residência oficial líderes para discutir acordo sobre orçamento impositivo. Além da queda de braço com o governo sobre o tema, há resistência de parte do Senado.


“Temos reunião amanhã cedo na casa do Rodrigo, em seguida deve ter reunião com Davi Alcolumbre. Precisamos articular isso amanhã cedo para saber como derrubar esses vetos. Além disso, precisa do acordo. Qual o acordo que o governo vai fazer? Nós queremos o acordo que foi feito no passado, mas vamos ver aonde chega isso amanhã”, disse o presidente do Solidariedade, deputado Paulinho da Força (SP), ao Congresso em Foco.
Conflito sobre orçamento aumenta com convocação para protestos


O aumento do poder de deputados e senadores na destinação de verbas é uma das principais razões para os atos anti-Congresso marcados para o dia 15. Os mesmos atos divulgados por Bolsonaro em sua conta pessoal do WhatsApp.


Este trecho do orçamento de 2020 foi vetado por Jair Bolsonaro, mas precisa ser confirmado pelo Congresso. Por acordo construído entre Executivo e Legislativo, o veto de Bolsonaro seria derrubado, mas R$11 bilhões dos R$ 30 bilhões seriam de poder de ministros.


No entanto, de um lado, o governo acredita ter votos suficientes para manter o veto e derrubar o orçamento impositivo. Do outro lado, se o governo não cumprir o acordo, líderes do Centrão prometem derrubar totalmente o veto e ficar com o controle dos R$ 30 bilhões.


Congresso em Foco