07/11/2019 - 13:00

ANP realiza leilão de mais cinco áreas do pré-sal nesta quinta-feira



As principais petroleiras do mundo voltam a disputar nesta quinta-feira (7) blocos de exploração de petróleo da camada pré-sal do Brasil. Um dia após o megaleilão dos excedentes da Cessão Onerosa, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realiza mais um leilão de partilha, na 6ª Rodada do modelo. A sessão será realizada, novamente, em um hotel na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.
Neste leilão, serão ofertados cinco blocos exploratórios, sendo um na Bacia de Campos e quatro na Bacia de Santos, onde também estavam os quatro blocos ofertados nessa quarta-feira. A área total dos cinco é de cerca de 8.640 km² e a expectativa é de que os contratos de concessão sejam assinados até março de 2020.
6ª rodada do regime de partilha leiloa 5 áreas do pré-sal — Foto: Aparecido Gonçalves/Arte G1
Juntas, essas cinco áreas podem render até R$ 7,85 bilhões somente em bônus de assinatura. Assim como nas demais rodadas de licitação de blocos do pré-sal, realizadas sob o regime de partilha, o valor do bônus de assinatura é fixo. Arremata a área a empresa ou consórcio que oferecer à União o maior percentual de óleo excedente da produção a partir do mínimo exigido em edital. Esse excedente é o volume de petróleo ou gás que resta após a descontar os custos da exploração e investimentos.
Blocos em oferta na 6ª Rodada de Partilha do Pré-Sal
Bacia
Bloco
Bônus de Assinatura
Percentual mínimo de excedente em óleo
Santos
Aram
R$ 5,050 bilhões
29,96%
Santos
Bumerangue
R$ 550 milhões
26,68%
Santos
Cruzeiro do Sul
R$ 1,150 bilhão
29,52%
Santos
Sudoeste de Sagitário
R$ 500 milhões
26,09%
Campos
Norte de Brava
R$ 600 milhões
36,98%
Fonte: ANP
A Petrobras exerceu o direito de preferência por três das cinco áreas ofertadas Aram, Sudoeste de Sagitário e Norte de Brava. Isso significa que a estatal poderá, caso não arremate estas áreas, compor consórcio com a vencedora com participação mínima de 30%, o que a torna operadora do bloco.
Segundo a ANP, 17 empresas foram habilitadas para disputar os blocos nesta 6ª Rodada de Partilha. São elas:
BP Energy do Brasil Ltda.
Chevron Brasil Óleo e Gás Ltda.
CNODC Brasil Petróleo e Gás Ltda.
CNOOC Petroleum Brasil Ltda.
Compañia Española de Petróleos, S.A.U. – CEPSA
Ecopetrol Óleo e Gás do Brasil Ltda
Enauta Energia S.A.
Equinor Brasil Energia Ltda.
ExxonMobil Exploração Brasil Ltda.
Murphy Exploration & Production Company
Petrogal Brasil S.A.
Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras
Petronas Petróleo Brasil Ltda.
QPI Brasil Petróleo Ltda.
Repsol Sinopec Brasil S.A.
Shell Brasil Petróleo Ltda.
Wintershall DEA do Brasil Exploração e Produção Ltda.
Arrecadação com leilões de blocos exploratórios de petróleo
Rodada
Data de realização
Arrecadação mínima prevista
Arrecadação total
14ª Rodada de Concessão
27/09/2017
R$ 1,9 bilhão
R$ 3,8 bilhões
2ª e 3ª Rodadas de Partilha
27/10/2017
R$ 7,7 bilhões
R$ 6,15 bilhões
15ª Rodada de Concessão
29/03/2018
R$ 4,8 bilhões
R$ 8 bilhões
4ª Rodada de Partilha
07/06/2018
R$ 3,2 bilhões
R$ 3,15 bilhões
5ª Rodada de Partilha
28/09/2018
R$ 6,82 bilhões
R$ 6,82 bilhões
16ª Rodada de Concessão
09/10/2019
R$ 3,2 bilhões
R$ 8,9 bihões
Excedentes da cessão onerosa
06/11/2019
R$ 106,5 bilhões
R$ 69,96 bilhões
6ª Rodada de Partilha
07/11/2019
R$ 7,85 bilhões
 
Fonte: ANP
A Oferta Permanente consiste na disponibilidade contínua de campos ofertados em licitações anteriores que não foram arrematados ou, então, que foram devolvidos à ANP.
O segundo leilão do ano foi a 16ª Rodada, que ofertou 36 blocos, dos quais apenas 12 foram arrematados. O terceiro ocorreu nessa quarta-feira e foi considerado o leilão mais importante da história.
Os próximos leilões estão previstos somente para 2020 – são eles a 7ª Rodada de Partilha do Pré-Sal e a 17ª Rodada de Licitação.
G1