18/02/2020 - 06:58

Adesão de trabalhadores da área operacional da Petrobrás supera 60%. Petroleiros promovem marcha no Rio na tarde desta terça-feira, em defesa da empresa



io de Janeiro, 17 de fevereiro de 2020 – Com a adesão dos petroleiros dos campos terrestres de Urucu, no Amazonas, da Termelétrica Nova Piratininga, em São Paulo, e de mais uma plataforma da Bacia de Campos – a P-08 –, a greve nacional dos petroleiros somou 121 unidades nesta segunda-feira (17/2), em 13 estados, com 21 mil trabalhadores mobilizados. Considerando apenas a área operacional, os petroleiros envolvidos no movimento representam 64% do total de trabalhadores desse segmento.
 
MARCHA NO CENTRO DO RIO
Amanhã (18/2), a partir das 16h, petroleiros, trabalhadores de outras categorias profissionais, representantes de movimentos sociais e de partidos políticos vão promover em frente ao edifício-sede (Edise) da Petrobrás, no Centro do Rio de Janeiro, a Grande Marcha Nacional em Defesa do Emprego, da Petrobrás e do Brasil. A marcha vai sair do Edise em direção aos Arcos da Lapa.
O ato vai contar com centenas de trabalhadores da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen) do Paraná, unidade que está sendo fechada pela Petrobrás, ameaçando os empregos de 1.000 trabalhadores. Além deles, vão participar da marcha petroleiros de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Espírito Santo, além do Rio de Janeiro. (ver serviço no fim do texto).
 
VIGÍLIA RESISTÊNCIA PETROLEIRA PROMOVE AULAS PÚBLICAS
A vigília Resistência Petroleira, que desde 3 de fevereiro foi montada na frente do Edise e permanece no local 24 horas por dia, vem recebendo petroleiros de outros estados do país. Nesta segunda (17/2), chegaram caravanas de trabalhadores da Fafen-PR, com cerca de 200 pessoas (fotos abaixo). 
Durante toda a semana, às 10h, a vigília vem promovendo aulas públicas com especialistas em variados temas, como democracia, energia, saúde e políticas públicas. Na manhã de hoje, a aula teve como tema “Os impasses da democracia no Brasil”, ministrada pela professora Dulce Pandolfi, da Universidade da Cidadania, espaço de extensão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).
 
ATO EM VITÓRIA (ES) E MOBILIZAÇÃO EM ARAUCÁRIA (PR)
Nesta segunda (17/2), os petroleiros promoveram atos em outras cidades do país. Uma das manifestações ocorreu em Vitória, no Espírito Santo, em frente ao edifício da Petrobrás na cidade (EDIVIT). Cerca de 100 pessoas participaram do ato (fotos abaixo).
Em Araucária, petroleiros e petroquímicos da Fafen-PR e suas famílias seguem acampados há 28 dias em frente à fábrica.
 
COMISSÃO PERMANECE À ESPERA DE NEGOCIAÇÃO
Já a Comissão Permanente de Negociação, formada por Deyvid Bacelar, Cibele Vieira e Tadeu Porto, da Federação Única dos Petroleiros (FUP), e Ademir Jacinto, do Sindiquímica-PR, permanece há 18 dias ocupando pacificamente uma sala do 4º andar do Edise, aguardando que a Petrobrás abra um canal efetivo de negociações. A comissão reivindica a suspensão do fechamento da Fafen-PR e as consequentes demissões de trabalhadores da fábrica, que a Petrobrás iniciou na última sexta-feira (14/2), e o cumprimento das negociações relativas ao Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), fechando em novembro de 2019 sob mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
 
QUADRO NACIONAL DA GREVE – 17 DE FEVEREIRO 
58 plataformas
11 refinarias
24 terminais
8 campos terrestres
8 termelétricas
3 UTGs  
1 usina de biocombustível
1 fábrica de fertilizantes
1 fábrica de lubrificantes
1 usina de processamento de xisto
2 unidades industriais
3 bases administrativas
POR ESTADO
Amazonas
Campo de Produção de Urucu
Termelétrica de Jaraqui
Termelétrica de Tambaqui
Terminal de Coari (TACoari)
Refinaria de Manaus (Reman)
Ceará
Plataformas - 9 
Terminal de Mucuripe
Temelétrica TermoCeará
Fábrica de Lubrificantes do Nordeste (Lubnor)
Rio Grande do Norte
Plataformas – PUB-2 e PUB-3
Ativo Industrial de Guamaré (AIG)
Base 34 e Alto do Rodrigues - mobilizações parciais
Pernambuco
Refinaria Abreu e Lima (Rnest)
Terminal Aquaviário de Suape
Bahia
Terminal de Camaçari
Terminal de Candeias
Terminal de Catu
UO-BA – 7 áreas de produção terrestre
Refinaria Landulpho Alves (Rlam)
Terminal Madre de Deus
Usina de Biocombustíveis de Candeias (PBIO)
Espírito Santo
Plataformas: FPSO-57 e FPSO-58
Terminal Aquaviário de Barra do Riacho (TABR)
Terminal Aquaviário de Vitória (TEVIT)
Unidade de tratamento de Gás de Cacimbas (UTGC)
Sede administrativa da Base 61
Minas Gerais
Termelétrica de Ibirité (UTE-Ibirité)
Refinaria Gabriel Passos (Regap)
Rio de Janeiro
Plataformas – PNA1, PPM1, PNA2, PCE1, PGP1, PCH1, PCH2, P07, P08, P09, P12, P15, P18, P19, P20, P25, P26, P31, P32, P33, P35, P37, P40, P43, P47, P48, P50, P51, P52, P53, P54, P55, P56, P61, P62, P63, P74, P76, P77 
Terminal de Cabiúnas, em Macaé (UTGCAB)
Terminal de Campos Elíseos (Tecam)
Termelétrica Governador Leonel Brizola (UTE-GLB)
Refinaria Duque de Caxias (Reduc)
Terminal Aquaviário da Bahia da Guanabara (TABG)
Terminal da Bahia de Ilha Grande (TEBIG)
Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj)
São Paulo
Termelétrica Nova Piratininga
Terminal de São Caetano do Sul
Terminal de Guararema
Terminal de Barueri
Refinaria de Paulínia (Replan)
Refinaria de Capuava, em Mauá (Recap)
Refinaria Henrique Lages, em São José dos Campos (Revap)
Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão (RPBC)
Plataformas – PMXL1, P66, P67, P68 e P69
Terminal de Alemoa
Terminal de São Sebastião 
Unidade de Tratamento de Gás Monteiro Lobato (UTGCA)
Termelétrica Cubatão (UTE Euzébio Rocha)
Torre Valongo - base administrativa da Petrobras em Santos
Terminal de Pilões
Mato Grosso do Sul
Termelétrica de Três Lagoas (UTE Luiz Carlos Prestes)
Paraná
Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar)
Unidade de Industrialização do Xisto (SIX)
Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FafenPR/Ansa)
Terminal de Paranaguá (Tepar)
Santa Catarina
Terminal de Biguaçu (TEGUAÇU)
Terminal Terrestre de Itajaí (TEJAÍ)
Terminal de Guaramirim (Temirim)
Terminal de São Francisco do Sul (Tefran)
Base administrativa de Joinville (Ediville)
Rio Grande do Sul
Refinaria Alberto Pasqualini (Refap)
 
SERVIÇO
MARCHA EM DEFESA DO EMPREGO, DA PETROBRÁS E DO BRASIL 
Data: Terça-feira, 18 de fevereiro
Hora: 16h
Local: Concentração no Edifício Sede da Petrobrás, caminhada até os Arcos da Lapa 
Endereço: Av. República do Chile, 65 - Centro, Rio de Janeiro - RJ

Assessoria