Joo Pessoa, 20 de Abril 2018

Colunista

Judivan Gomes

Jornalista, formado pela UFPB. Comentarista Repórter do Programa Tony Show da rádio 100.5 a FM Líder.

Todos artigos [+]



Deixa março chegar

Petistas e socialistas garantem firmemente que a aliança entre as duas legendas para a eleição do próximo ano em João Pessoa está mais forte do que nunca. O deputado estadual Anísio Maia (PT) chegou a classificar como sendo fofocas as especulações de uma suposta ruptura no agrupamento. Recentemente o governador Ricardo Coutinho (PSB) disse o mesmo. Segundo ele, não existe briga nenhuma e, sim, a necessidade de muito trabalho.

O que parece é que todos estão bastante afinados em se tratando de discursos. Na retórica, tudo parece estar bem alinhadinho. A não ser as declarações do deputado estadual Ricardo Barbosa (PSB) e do vereador Renato Martins (do mesmo partido) alfinetando a gestão petista na capital paraibana. Este último, inclusive, anunciou seu desligamento da base de sustentação do prefeito Luciano Cartaxo (PT) na Câmara Municipal de João Pessoa.

Como podem observar, o clima não é tão tranquilo como alguns tentam colocar. Sem contar que tem membro do Partido dos Trabalhadores da capital (refiro-me a Jackson Macedo) defendendo uma aproximação política com o ex-senador Cícero Lucena (PSDB). Todos sabem que o tucano é um dos principais adversários do chefe do executivo estadual. Há quem diga que essa estratégia seria uma espécie de Plano B dos petistas caso não pudessem contar com os socialistas.

Só lembrando que o ex-senador já se manifestou a respeito da intenção do petista de abrir um campo de conversa com o agente político sobre o processo eleitoral que se avizinha na cidade de João Pessoa; e disse, ao ser indagado sobre a possibilidade de conversar com o PT, que estava fora porque não pretende participar de nenhuma disputa eleitoral. Cícero Lucena contou que, neste momento, está focado em seus negócios empresariais.  

Diante de tudo isso e o fato de ainda faltar muito tempo para o pleito eleitoral de 2016, o mais prudente é esperar para ver o que vai acontecer com esses dois partidos. O ideal é deixar chegar o mês de março do próximo ano ,e aí saberemos se a aliança vai prosperar ou não. Não devemos esquecer que os principais atores do PSB e do PSDB diziam a mesma coisa quando o assunto era a campanha estadual do ano passado. Aconteceu que Ricardo Coutinho ficou de um lado e Cássio Cunha Lima, do outro.

Comentários